segunda-feira, 8 de outubro de 2012

"O Santo Milagroso" entra em cartaz


Depois dos grandes sucessos “Velório à Brasileira” e “Coitado, quem diria, Entrou numa Fria”, o “GRUPO EM GRUPO DE ARTES CÊNICAS”, conhecido pela irreverência de suas montagens, traz à cena o premiado texto “O SANTO MILAGROSO” de Lauro César Muniz 



O Grupo
Criado pelo ator Renato Goiaba, do “Grupo de Teatro Palco de Brasília” o “Grupo em Grupo” vem marcando sua presença no cenário artístico Friburguense com suas montagens sempre irreverentes. A primeira foi “Batata Frita e Aperitivos” que, devido ao grande número de atores, deu origem ao nome do grupo. Veio ainda “O Reco que me amava” de Robson Graia, “Dois tempos para Liberdade” de Lucas Bastos, “O que aconteceu no deserto de nevada em 1978” de Ricardo Moreira e Renato Goiaba, e “A última cartada” de Waldemir Mattos. Em 2006 o grupo convidou o ator e diretor Wilson Wagner para participar da trupe, a parceria rendeu dois enormes sucessos do teatro friburguense,a remontagem de “Coitado, quem diria, Entrou Fria” de Lucas Bastos  e “Velório à Brasileira” do paulista Aziz Bajur.

Produção
Para esta nova montagem, o produtor Wilson Wagner, uniu aos antigos integrantes, novos atores: Lucia Palomo e Jerônimo Nunes, que já desenvolviam trabalhos como autônomos e com outros diretores. Convidou para a direção a atriz e diretora Daniela Santi. Disso resultou uma releitura do texto, incrementando-o com novos escritos e com músicas populares que tiveram as suas letras adaptadas à situação do texto.
Nesta produção o grupo prima pela qualidade de sua ambientação cênica , figurino, iluminação e coreografia, buscando profissionais adequados a essas funções, que possuam qualificação e senso estético de acordo com os padrões cênicos desejados.  O figurino é confeccionado partindo da idéia da utilização de uma roupa básica para os atores, onde são utilizados os complementos necessários para cada personagem, tendo aplicadas gravuras comuns nos panos de pratos. Estampas populares, do conhecimento e uso de todos os lares, criando uma intimidade e identificação, de quem assiste ao espetáculo, com os personagens da história. A iluminação é parte fundamental do espetáculo, pois ponteia e acresce o mesmo com  detalhes, criativos e surpreendentes, para a concepção da direção. 

Sinopse
Numa pequena cidade do interior do Brasil, o padre e o pastor disputam a preferência dos fiéis. Um romance que parecia impossível, tipo Romeu e Julieta, dá início a uma grande confusão que se transforma num "milagre".
Várias situações inusitadas e cômicas se estabelecem a partir disso e culminam com outro "milagre", que leva a pequena cidade às manchetes dos principais jornais do país.
O grande evento provoca, notoriedade à igreja católica, romarias e mudança de lado na preferência religiosa dos populares. O poder está presente através do "Coronel" que detém, não só o poder político como já era de se esperar, mas também o econômico. Dessa forma domina e manipula o vigário e o pastor. Já o poder religioso, em sua instância maior, é de domínio do Bispo que se faz presente para interferir no processo de euforia geral.
O espetáculo é conduzido num clima descontraído de contação popular, onde o narrador, o Juca, é o próprio beneficiado pelo "milagre". o "Juca. Os atores se revezam num exaustivo troca-troca de funções, interpretando, cantando, dançando e tocando vários instrumentos, dando ao espetáculo um tom de diversão e alegria que contagia e estimula os espectadores.

O Autor
Um escritor decidido a correr o risco de renovar a telenovela brasileira, por isso, uma carreira que se alternam o sucesso e o fracasso de público, o elogio e a opinião desfavorável da crítica. Assim é o paulista Lauro César Muniz, que trocou a profissão de engenheiro civil pelas incertezas de escrever para o teatro e a televisão e também para cursar a Escola de Arte Dramática de São Paulo. O Santo Milagroso, é sem dúvida, seu maior sucesso no teatro, escrita em 1963, a peça que se mostra atual até hoje, deu a Lauro o prêmio de Revelação de Autor da Associação Paulista de Críticos Teatrais, virou filme e caso especial para tv. Na televisão marcou época com vários sucessos como: “Carinhoso”, “O Bofe”, “Escalada”, “A corrida do Ouro”, “O Casarão” “Espelho Mágico”  “Zazá”, “Roda de Fogo,”  “Um Sonho a Mais”,entre outras. Atualmente trabalha para Rede Record, onde já escreveu sucessos como, “Poder Paralelo”, “Cidadão Brasileiro” e “As Máscaras”. Nas minisséries o destaque fica para “Chiquinha Gonzaga”e  “Aquarela do Brasil”. No teatro, além de “O Santo Milagroso”, Lauro obteve enorme êxito com “Sinal de Vida”e “Esse Ovo é um Galo”.

Ficha Técnica

Texto:
“O Santo Milagroso”
Comédia de Lauro César Muniz

Elenco:      
Jerônimo Nunes 
Leonardo Verly
Lucia Palomo                 
Paulo Cézar Queiroz
Ronaldo Carneiro                  
Wilson Wagner

Direção, adaptação, letras das músicas e textos complementares – Daniela Santi
Direção Musical - Diogo Rebel
Iluminação - Marcos Teixeira
Operador de Luz- Cristina Campos
Cenário e Figurino- Daniela Santi
Programação Visual- Dil Márcio
Coreografia – Paula Winter
Produção e Divulgação – Wilson Wagner

Temporada 2012

O SANTO MILAGROSO tem estreia marcada para o dia 12 de outubro de 2012, na cidade de Bom Jardim/RJ, no Galpão Cultural Profª Margaret de Jesus (ao lado do antigo zoológico) - Telefone (22) 2566 2236 , onde permanecerá em cartaz também nos dias 13 e 14. Apresentações às 20h, sexta-feira e  sábado, e às 19h no domingo. Ingressos a R$20,00 e antecipados a R$10,00 (preço único). A estreia em Nova Friburgo acontece no dia 19 de outubro de 2012, no Teatro Irmã Sania Cosmelli, no centro da cidade,  à Rua Monsenhor Miranda 86 - Nova Friburgo – RJ , permanecendo em cartaz ainda nos dias 20 e 21, sempre às 20h.

Ingressos 
PREÇOS: 
R$ 30,00 (INTEIRA)
R$ 15,00 (ESTUDANTES/ TERCEIRA IDADE E CLASSE ARTÍSTICA e PROFESSORES)
A venda, a partir do dia 05 de outubro na Vitória Perfumaria – Rua Monte Líbano 55- loja 01- no Centro;  e  na Farmácia Estação Saúde, Rua Alberto Braune 160 -  lojas 1 e 2 – Centro – No local, nos dias e hora da apresentação.

Obs.:
A produção está, também, negociando com a Secretaria de Cultura, uma temporada de oito apresentações para o mês de Novembro no teatro Bebete Castilho do Centro de Arte, tudo depende do ritmo das obras para reabertura do mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário